Segundo uma pesquisa feita pela Agência Internacional de Energia Renovável (Irena), do total de geração elétrica instalada no mundo em 2020, 80% foi renovável. 91% desses novos sistemas são de energia solar e eólica. 

No Brasil, há 370 MW em grandes usinas solares em operação e 545 MW em construção, somando aproximadamente R$ 3,1 bilhões em investimento, conforme levantamento realizado pela consultoria Greener em 2020.

Apesar de ser um sistema transformador, o uso da energia solar ainda causa muitas dúvidas. A seguir, veja os principais mitos a respeito do tema. 

1. “O retorno do investimento é baixo”

Há alguns anos, essa afirmação seria verdadeira, entretanto, atualmente, existem soluções fotovoltaicas mais acessíveis, com equipamentos e projetos que podem ser aplicados de forma mais econômica.

Dessa forma, mesmo que o payback varie de quatro a oito anos, por exemplo, o investimento na tecnologia recompensa, visto que o equipamento é capaz de produzir energia por 25 anos ou mais.

2. “O setor de energia fotovoltaica foi o mais atingido durante a pandemia”

Apesar da crise econômica causada pela pandemia em 2020, o setor de energia solar motivou a criação de 86 mil empregos, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Ainda de acordo com a associação, o número representa um aumento de 62% em relação aos empregos acumulados no país desde 2012. A pesquisa também aponta que o mercado fotovoltaico arrecadou mais de R$3,9 bilhões para os cofres públicos através dos impostos. Em comparação com o período de 2012 a 2019, essa quantia representa um crescimento de 52%.

3. “A usina solar só pode fornecer energia para uma única unidade de negócio”

De acordo com a Resolução Normativa 687/2015 da ANEEL, ao possuir uma usina instalada em uma determinada localidade, a organização poderá utilizar os créditos para abater na fatura de uma outra localidade. 

Entretanto, é preciso que as unidades, tanto o ponto de geração quanto de consumo, estejam sob domínio da mesma concessionária de energia e com o mesmo CNPJ da organização.

4. “O terreno precisa estar no mesmo estado da unidade que irá receber a energia”

O terreno pode estar em outro estado, entretanto a área deve ser atendida pela mesma concessionária de energia. 

Por exemplo, para utilizar o crédito de energia em mais de uma unidade consumidora, ambas precisam estar na mesma área de concessão e, como dito anteriormente, pertencer ao mesmo CNPJ.

5. “Incentivos fiscais não são concedidos para quem deseja gerar energia fotovoltaica”

No Brasil, consumidores geradores possuem desconto no IPTU, conforme as leis municipais da cidade, isenção de ICMS via convênio CONFAZ 16/2015 e isenção de PIS/COFINS em relação à energia gerada através da Lei n.º 13.169/2015. 

Os equipamentos e componentes que são utilizados para instalação dos sistemas de energia solar também ficam isentos do Imposto sobre Importação, segundo o Projeto de Lei 317/2013. 

Conheça soluções econômicas para utilizar a energia solar

Atualmente, existem modelos de parceria que facilitam a inserção de soluções de eficiência energética nas instituições. A ENGIE conta com um portfólio completo, sendo, no Brasil, a mais completa produtora privada de energia elétrica e umas das maiores empresas de geração de energia solar fotovoltaica.

Energy as a Service

O modelo As a Service serve como uma opção para as empresas que querem melhorar a performance dos sistemas tecnológicos e de geração local de energia. Segundo o Navigant Research, a ENGIE é a líder global entre os provedores de Energy as a Service (EaaS).

Por meio dessa modalidade, são realizadas parcerias em longo prazo, nas quais a empresa fornecedora de energia assume os riscos e realiza todos os investimentos necessários para a adequação da infraestrutura; portanto, a organização não precisa efetuar investimentos, sendo que o seu único gasto é com a manutenção do seu próprio maquinário, ou seja, ao aderir o sistema, a organização só precisa se preocupar com o seu core business.

Desse modo, em acordo com os clientes, a ENGIE cumpre todas as etapas para a aplicação de estudo, elaboração, engenharia, implementação, operação e manutenção das soluções, assumindo todos os riscos e realizando todos os investimentos necessários para a readequação da infraestrutura.

Entre em contato conosco e saiba como levar a energia solar fotovoltaica para a sua organização.

Se você gostou deste artigo, confira outros títulos em nosso blog de soluções: