A volatilidade dos preços dos combustíveis fósseis e a tendência de diminuição na oferta têm sido uma grande preocupação para o setor industrial.

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, mais de 40% da matriz energética brasileira vem de combustíveis fósseis, e até 2030, pode haver uma falta de fornecimento no Brasil, conforme o Canal de Bioenergia.

Dados divulgados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) mostram que fontes alternativas como o biogás e o biometano são eficazes para solucionar esse desafio. Dessa forma, é fundamental economizar recursos e investir em outros meios de produção energética.

Como o biogás vem sendo utilizado no Brasil?

O Brasil tem um grande potencial não explorado de crescimento de geração de biogás; se o país utilizasse os resíduos de sua produção agropecuária, seria possível produzir o equivalente a 50 bilhões de m³/ano. Esse valor seria suficiente, por exemplo, para suprir 70% da demanda de diesel no Brasil, afirma a Associação  Brasileira do Biogás (Abiogás).

O biogás é aproveitado em diversos segmentos industriais, como agroindústrias, agronegócio, amidonaria, sucroalcooleira, fecularia, cervejarias, tabaco, entre outras. A transformação dos resíduos de processos industriais ajuda a aumentar o faturamento das indústrias e/ou reduzir custos.

Dados da EPE confirmam que a principal fonte da produção de biogás no país são os aterros sanitários (51%), seguida pela indústria de alimentos e bebidas (25%) e a suinocultura (14%). Além disso, quase toda a produção de biogás no Brasil é direcionada à geração de energia elétrica ou térmica.

Quais são os recursos energéticos que podem ser substituídos pelo biogás?

O Brasil é considerado o país com o maior potencial de produção de biogás no mundo, tendo matéria-prima para suprir 70% do consumo nacional de diesel e 34,5% do consumo de eletricidade, segundo dados divulgados pela Abiogás.

O biogás pode ser utilizado em redes de gás natural, sistemas de climatização e gás industrial e, também, depois de processado e transformado em biometano, poderá ser utilizado como combustível de veículos. Também pode ser usado em caldeiras por meio de sua queima direta para a cogeração de energia. 

Como a utilização do biogás pode ser uma vantagem competitiva?

Usar o biogás cria condições para aumentar a competitividade do agronegócio e da indústria. Dessa forma, com a expansão da atividade industrial, é possível garantir a destinação correta dos resíduos gerados pela produção e ainda gerar energia.

Outro fator em destaque é que, segundo a Abiogás, a geração de energia elétrica a partir do biogás apresenta o maior teor de capacidade energética em comparação com outras fontes renováveis. Além disso, a estrutura de custos do gás é previsível, os preços são em reais, não sofrem interferência de commodities ou de câmbio.

A utilização do biogás é considerada uma prática condizente com os ideais de ESG (Environmental, Social and Governance). Isso significa que, além da sustentabilidade, o uso desse gás atrai investimentos para as empresas, aumentando, assim, a competitividade no meio. 

Outro ponto importante é quando se destina os resíduos orgânicos para um biodigestor, além de aumentarmos o grau de confiança no tratamento dos dejetos, também estaremos possibilitando o equilíbrio de emissão de CO2 na atmosfera.  

O uso do biogás reduz os prejuízos referentes à gestão de resíduos. Portanto, um investimento estratégico na utilização do biogás acarreta processos positivos e otimistas, como:

  • Redução dos custos de exploração (o resíduo se torna a própria matéria-prima)
  • Criação de fontes de receitas adicionais

Conheça as soluções em biogás para indústria

Devido ao Novo Mercado de Gás, programa do governo federal, estima-se que, nos próximos anos, ocorra um aumento da procura por soluções com biogás no Brasil.

Segundo dados apresentados na Conferência Internacional Datagro, em 2019, o setor sucroenergético tem o potencial de gerar 56 milhões de m³ de biometano por dia. Esse valor equivale a 10.565 MW e representa 75% da capacidade da usina hidrelétrica de Itaipu 

Atualmente, existem modelos de negócio que facilitam a produção de biogás nas indústrias, como o Energy as a Service, no qual há o pagamento por um serviço de energia sem precisar investir na infraestrutura ou em equipamentos geradores. Esse modelo permite que as empresas elevem metas de eficiência energética e reduzam custos com energia.

“Acreditamos que, com investimentos, pesquisas e segurança contratual, não demorará para que o setor seja responsável por atender a demanda crescente de energia descarbonizada, eficiente e econômica.E a ENGIE possui em sua expertise estes três grandes indicadores em todo o seu ciclo de soluções em energia, portanto está preparada para também liderar este mercado”, afirma Charles Bispo, Gerente Nacional de Geração Distribuída da ENGIE. 

A ENGIE trabalha com alternativas de geração de energia sustentável, atuando diretamente na demanda de cada empresa com gerenciamento, monitoramento, eficiência e segurança energética.

Conheça as nossas alternativas para seu negócio em nosso site ou entre em contato com um especialista.