Ignorar a sustentabilidade não é uma opção para empresas que estão ingressando na terceira década do século XXI. A demanda de consumidores conscientes por práticas ambientalmente responsáveis é cada vez maior, a maioria afirma preferir empresas sustentáveis e estão dispostos até a pagar mais por isso. O cenário indica que é preciso se posicionar como uma organização eco-friendly, e não apenas sustentar uma postura greenwashing.

Esses são os conceitos que diferenciam empresas verdadeiramente focadas no desenvolvimento sustentável, daquelas que somente aparentam ser “verdes” para não ficarem para trás quando o assunto é sustentabilidade. Mas, o que exatamente significa ser eco-friendly ou greenwashing e quais os impactos dessas práticas para as empresas? É sobre isso que falaremos a seguir.

Eco-friendly e a escolha por uma jornada harmoniosa

Em tradução literal, eco-friendly quer dizer amigável ao meio ambiente. Na prática, indica a escolha por ações, produtos e processos que não geram danos socioambientais ou reduzem-nos na comparação com atividades equivalentes.

Na rotina das empresas, isso significa muito mais do que eliminar o desperdício, o lixo ou o uso de plásticos e papeis em excesso. Para garantir que o impacto ambiental da empresa seja mitigado de fato, é preciso optar por fontes de energia certificadamente renováveis, monitorar e controlar com precisão o consumo de recursos e utilities demandados pelas operações, bem como escolher fornecedores reconhecidos por iniciativas de baixo carbono.

Organizações eco-friendly andam ao lado do desenvolvimento sustentável e da preservação do meio ambiente, incorporando práticas que ajudam frear as mudanças climáticas e contribuem para que, no futuro, haja recursos necessários para assegurar qualidade de vida a toda população mundial.

Desse modo, além de agir para conter um problema de escala planetária, empresas eco-friendly garantem aos consumidores mais exigentes um comportamento responsável, resultando em valorização de imagem da companhia e até mesmo melhores resultados financeiros.

>> Saiba mais sobre os benefícios ambientais da energia solar fotovoltaica

Greenwashing: sustentabilidade colocada em xeque

O termo greenwashing, ao contrário de eco-friendly, pode ser entendido como “lavagem verde” ou “maquiagem verde”. Assim, designa empresas que adotam um discurso, aparência ou comunicação com apelo sustentável, mas que na prática não estão adotando novos processos, fornecedores ou insumos que resultem em menor impacto ambiental.

Normalmente, o greenwashing é caracterizado pelo uso de termos vagos sobre ações realizadas, indicação da conquista de selos verdes pouco conhecidos, e informações rasas que levam o consumidor a crer estar diante de um produto ou serviço ecológico. Na verdade, o compromisso ambiental é acompanhado de informações aprofundadas, pois há um longo caminho a percorrer e relatar quando grandes transformações acontecem na rotina de uma empresa.

A preocupação do mercado e dos consumidores com práticas enganosas é grande. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, inclusive, tem uma página dedicada a ajudar a identificação do greenwashing. Por isso, empresas que desejam realmente contribuir com a preservação do meio ambiente devem ir além de rótulos sustentáveis, e implementar novas tecnologias e métodos para realizar suas atividades. Desse modo, podem alcançar a confiança do público ao mesmo tempo que em se atuam com mais harmonia em busca do desenvolvimento sustentável.

Quer saber o que sua empresa poder fazer para reduzir o impacto ambiental e a emissão de carbono? Fale conosco.